O IDP realiza desde 2011 o Seminário de Administração Pública e Economia, que ao longo dos anos passou a ser um canal de referência para o aprofundamento dos debates da agenda pública do país. Trata-se de um fórum de discussão que reúne grandes nomes da Administração Pública e Economia brasileira com o objetivo de discutir os temas mais emergentes, atuais e desafiadores da gestão do Estado brasileiro.

A 12ª edição será realizada no dia 29 de novembro de 2022, na modalidade presencial e virtual, com o tema “Eleições Gerais de 2022: Perspectivas para o Ciclo 2023-2026”. Além de trazer grandes nomes da academia e da gestão pública, o Seminário contará com Grupos de Trabalho que recepcionarão artigos e relatos técnicos de estudantes de pós-graduação, acadêmicos e profissionais ligados à Administração Pública e à Economia. 

Para inscrever-se no painel principal do evento, acesse: https://www.idp.edu.br/eventos/12-seminario-administracao-publica-economia/?fbclid=PAAabfR_y-W_ijqcfhzByqVTweQQEGFyYXKAREIXwewxVT1tzkJQP20ThuZGg 

 


EDITAL DE SUBMISSÃO DE TRABALHOS

 

1) DO EVENTO ACADÊMICO

O 12º Seminário de Administração Pública e Economia do IDP tem como tema central “Eleições Gerais de 2022: Perspectivas para o Ciclo 2023-2026”, será realizado no dia 29 de novembro de 2022.

O evento é gratuito e ocorrerá na modalidade presencial para o painel principal (mesa redonda única de discussão) e na modalidade remota (on-line/virtual) apenas para as apresentações e discussões no âmbito dos Grupos de Trabalho (GT).

Qualquer interessado pode acompanhar o painel principal (presencial) e os GT (remotamente) como parte da plateia. O painel principal será realizado presencialmente no IDP Norte, localizado no SGAN 609, Asa Norte, Brasília/DF, CEP 70830-401, no dia 29 de novembro de 2022, terça-feira, às 19h. Os GT ocorrerão virtualmente a partir das 14h da mesma data.

 

2) DOS GRUPOS DE TRABALHO

Os Grupos de Trabalho (GT) do 12º Seminário de Administração Pública e Economia do IDP é uma realização do Núcleo de Pesquisadores Institucionais dos Programas de Mestrado Profissional em Administração Pública e em Economia do IDP.

Os GT visam integrar e divulgar as linhas de pesquisa e os trabalhos desenvolvidos nos PPG. A relação dos Grupos de Trabalho (GT) consta no Anexo deste edital.

Registra-se, ainda, que os GT poderão ser fundidos, caso não alcancem o mínimo de submissões ou aprovações.

 

3) DA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

Os trabalhos deverão ser submetidos na forma de artigos completos (diretrizes de elaboração constam no item 8 deste edital) e de relatos técnicos (diretrizes de elaboração constam no item 9 deste edital) serão recebidos a partir de 10 de outubro de 2022 até 09 de novembro de 2022 pelo sistema https://portalgt.idp.edu.br/seminarioadmpublica. Os aceites serão comunicados no dia 16 de novembro de 2022.

Os autores deverão proceder a um cadastramento prévio constando nome, titulação, endereço de correspondência, instituição de filiação, e telefone, e assinar o termo de cessão do direito autoral e de imagem para o IDP, para divulgação relacionada exclusivamente ao 12º Seminário de Administração Pública e Economia do IDP. As informações constantes dos trabalhos serão utilizadas para elaboração do certificado de apresentação. O conteúdo é de inteira responsabilidade dos autores. Somente serão recebidos textos em que um dos autores seja mestrando, doutorando, mestre ou doutor.

 

4) DA QUANTIDADE DE TRABALHOS POR AUTOR

Cada autor pode enviar somente um trabalho inédito para o Grupo de Trabalho (GT). O trabalho pode ser escrito por até 3 (três) autores.

 

5) DO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS SUBMETIDOS

Os trabalhos serão avaliados por meio do método “blind review”. O método exige o exame “às cegas” dos trabalhos por um avaliador, o que reduz a subjetividade, conflitos de interesse e de preferências ideológicas. O “blind review” não divulga, portanto, nomes de autores, nem de avaliadores. Cada trabalho será avaliado por um avaliador. Esse método assegura isonomia entre os participantes e garante a imparcialidade da avaliação.

 

6) DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E APROVAÇÃO

Os avaliadores observarão:

a) relevância e qualidade do trabalho;

b) aderência aos Grupos de Trabalhos (GT) propostos; e,

c) estrutura e formatação.

 

7) DOS TRABALHOS APROVADOS

Serão selecionados até 10 (dez) trabalhos, entre artigos completos e relatos técnicos, para apresentação em cada Grupo de Trabalho, distribuídos em duas sessões de apresentação em cada GT. Os autores dos trabalhos selecionados serão automaticamente inscritos no 12º Seminário de Administração Pública e Economia do IDP.

 

8) DOS ASPECTOS FORMAIS PARA ENVIO DO ARTIGO COMPLETO

Todos os trabalhos enviados para avaliação devem observar os seguintes aspectos formais:

8.1) Arquivos em formato .doc ou .docx, sem identificação de autoria;

8.2) Conter TÍTULO em português e em língua estrangeira. O título deve estar escrito em negrito, centralizado e em letras caixa-alta. Fonte: Arial; Corpo: 12;

8.3) Conter RESUMO na língua portuguesa, com no mínimo 100 e no máximo 150 palavras. Evitar abreviaturas. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

8.4) Conter, no mínimo, 03 PALAVRAS-CHAVES na língua portuguesa. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

8.5) Conter resumo em inglês, com no mínimo 150 e no máximo 250 palavras. Evitar abreviaturas. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

8.6) Conter, no mínimo, 03 PALAVRAS-CHAVES em inglês. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

8.7) ser estruturado com INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO (incluindo seções de REFERENCIAL TEÓRICO, METODOLOGIA DE PESQUISA e RESULTADOS E ANÁLISES), CONCLUSÃO E REFERÊNCIAS;

8.8) Ter de 15 a 25 PÁGINAS (incluídas as referências bibliográficas) formato A4, posição vertical; fonte: Arial; corpo: 12; alinhamento: justificado, sem separação de sílabas; espaçamento entre linhas: 1,5; Parágrafo: 1,5 cm; Margens: superior e esquerda - 3 cm; inferior e direita - 2 cm;

8.9) CITAÇÕES em conformidade com a ABNT NBR 10520/2002 e REFERÊNCIAS de acordo as regras da ABNT NBR 6023/2018 e indicação das URLs e DOI dos textos citados, quando existente;

8.10) Não conter ANEXO;

8.11) O arquivo contento o texto não deverá ter nenhuma referência ao(s) autor(es), sob pena de rejeição.

 

9) DOS ASPECTOS FORMAIS PARA ENVIO DO RELATO TÉCNICO[1]

Todos os trabalhos enviados para avaliação devem observar os seguintes aspectos formais:

9.1) Arquivos em formato .doc ou .docx, sem identificação de autoria;

9.2) Conter TÍTULO em português e em língua estrangeira. O título deve estar escrito em negrito, centralizado e em letras caixa-alta. Fonte: Arial; Corpo: 12;

9.3) Conter RESUMO na língua portuguesa, com no mínimo 100 e no máximo 150 palavras. Evitar abreviaturas. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

9.4) Conter, no mínimo, 03 PALAVRAS-CHAVES na língua portuguesa. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

9.5) Conter resumo em inglês, com no mínimo 150 e no máximo 250 palavras. Evitar abreviaturas. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

9.6) Conter, no mínimo, 03 PALAVRAS-CHAVES em inglês. Fonte: Arial, Corpo: 12, Espaçamento: simples;

9.7) ser estruturado com INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO (incluindo seções de RELATO DA EXPERIÊNCIA, PROCESSO DECISÓRIO, ESTRUTURAÇÃO DE POLÍTICA/PROGRAMA/PROPOSTA, METODOLOGIA, FATORES E/OU ASPECTOS DE SUCESSO OU INSUCESSO), RECOMENDAÇÕES E REFERÊNCIAS;

9.8) Ter de 7 a 15 PÁGINAS (incluídas as referências bibliográficas) formato A4, posição vertical; fonte: Arial; corpo: 12; alinhamento: justificado, sem separação de sílabas; espaçamento entre linhas: 1,5; Parágrafo: 1,5 cm; Margens: superior e esquerda - 3 cm; inferior e direita - 2 cm;

9.9) CITAÇÕES em conformidade com a ABNT NBR 10520/2002 e REFERÊNCIAS de acordo as regras da ABNT NBR 6023/2018 e indicação das URLs e DOI dos textos citados, quando existente;

9.10) Não conter ANEXO;

9.11) O arquivo contento o texto não deverá ter nenhuma referência ao(s) autor(es), sob pena de rejeição.

 

10) DA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS

10.1) Os autores com trabalhos aprovados serão notificados via e-mail;

10.2) Somente os autores poderão apresentar trabalhos. Em caso de coautoria é suficiente a apresentação por um dos coautores;

10.3) Os certificados de apresentação serão emitidos para todos os autores do trabalho;

10.4) Conforme pontuado no item 1 do presente edital, as apresentações e discussões no âmbito dos GT serão remotas/virtuais, utilizando a plataforma Zoom. Os links de acesso contendo a ID da Reunião e a Senha de Acesso serão oportunamente disponibilizados aos participantes;

10.5) As apresentações dos trabalhos aprovados serão de 10 a 15 minutos por trabalho. Debates e discussões temáticas das apresentações poderão ser realizados, de acordo com as orientações fornecidas pelos coordenadores do grupo de trabalho.

 

11) DA PUBLICAÇÃO DOS TRABALHOS NA FORMA DE ANAIS DE EVENTO

11.1) Os trabalhos apresentados no GT serão publicados em formato virtual no site do evento na modalidade “Anais de Evento Científico” após a realização do seminário com o registro de ISSN 2764-5118.

 

12) LINK PARA INSCRIÇÃO DOS TRABALHOS

Link para submissão dos trabalhos ao 12º Seminário de Administração Pública e Economia do IDP.

https://portalgt.idp.edu.br/seminarioadmpublica

Os Programas de Mestrado Profissional em Administração Pública e em Economia do IDP não se responsabilizam por eventuais falhas de tecnologia decorrentes do volume de acessos no último dia.

 

13) DATAS IMPORTANTES

10 de outubro de 2022

Abertura do período de inscrições

10 de outubro de 2022

Abertura do período de submissões (trabalhos completos)

09 de novembro de 2022

Encerramento do período de submissões (trabalhos completos)

16 de novembro de 2022

Notificação dos trabalhos aceitos

29 de novembro de 2022

Realização do 12º Seminário de Administração Pública e Economia do IDP

29 de novembro de 2022

Realização dos Grupos de Trabalho (GT)

 

 

 

Brasília/DF, 26 de setembro de 2022.

 

 

Prof. Dr. Caio Cordeiro de Resende

Coordenador do Mestrado Profissional em Administração Pública do IDP

 

Prof. Dr. José Luiz Rossi Junior

Coordenador do Mestrado Profissional em Economia do IDP


 

ANEXO I

GRUPOS DE TRABALHO (GT)

 

GT-1 – Gestão Governamental, Organizações Públicas e Inovação

Este GT constitui espaço de discussão de papers relacionados às perspectivas e desafios da gestão governamental, organizações públicas e inovação. São bem-vindas contribuições que versem sobre a temática enunciada, tanto do ponto de vista empírico quanto teórico. Serão aceitos trabalhos relacionados aos seguintes temas: capacidades estatais, arquitetura institucional, modelo de gestão, inovação, relacionamento e colaboração (redes, sociedade-Rede, Estado-Rede governança em rede, gestão do desempenho e valor público (estratégia, alinhamento, monitoramento e avaliação), construção de capacidades e arranjos de governança para lidar com desafios atuais e dinâmicos. Também são bem-vindas contribuições que analisem o funcionamento e organização do setor público brasileiro, bem como estudos comparados com outros países que abordem temáticas como a governança pública, capacidades burocráticas, financeiras e organizacionais, facilitadores e barreiras da inovação no setor público, inovação na prática: métodos e ferramentas de design thinking aplicados ao setor público.

 

GT-2 – Análise de Políticas Públicas e a Agenda de Reformas

O Grupo de Trabalho acolhe artigos completos e relatos técnicos cuja área de interesse seja as políticas públicas e a agenda brasileira de reformas. Alguns dos tópicos a seguir comunicam a principal preocupação deste GT: a política pública (policy), seus tipos e relações com os processos políticos (politics); abordagens teóricas e modelos de análise no campo; fases do ciclo das políticas públicas; mecanismos e instrumentos de coordenação; capacidades do Estado na produção de políticas públicas por meio da análise dos arranjos institucionais de implementação; aspectos relacionados à continuidade e mudança das políticas públicas; e compreender os desafios da produção de políticas públicas no Brasil contemporâneo; ambiente político-institucional brasileiro; os atores das políticas públicas; o papel dos interesses, das ideias e das instituições; definição da agenda governamental; formulação e os instrumentos da ação pública; o processo decisório; políticas públicas baseadas em evidências; implementação de políticas públicas; coordenação de políticas públicas; a dinâmica das políticas públicas: path dependence e mudança endógena; reformas econômicas e desenvolvimento; reforma trabalhista; reforma da previdência; reforma tributária; reforma administrativa.

 

GT-3 – Finanças Públicas, Transparência e Combate à Corrupção

O grupo está aberto a contribuições empíricas e teóricas nas seguintes áreas temáticas: finanças públicas; combate à corrupção; mecanismos de transparência e accountability; entidades fiscalizadoras superiores; evolução do controle externo da administração e das políticas públicas pelos tribunais de contas; perspectivas e propostas para o controle da administração pública no Brasil; panorama das finanças públicas; teoria e normas orçamentárias; sistema orçamentário brasileiro; processo orçamentário; Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF); orçamento e gestão; federalismo, federalismo fiscal, federalismo e políticas públicas: descentralização; transferências intergovernamentais; Novo Regime Fiscal e Regime de Recuperação Fiscal dos Estados e do Distrito Federal.

 

GT-4 – Justiça e Questões Sociais da Administração Pública Brasileira

O GT encoraja a submissão de trabalhos sobre a administração da justiça e os desafios de gestão no Poder Judiciário; papers com abordagens quantitativas e qualitativas na avaliação da performance do Judiciário; mediação; arbitragem e outros métodos adequados de solução de conflitos; policy process no Poder Judiciário; pesquisas e análises sobre práticas de gestão que envolvam as etapas de formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas públicas de educação, saúde e segurança pública.



[1] Conforme assinala a Sociedade Brasileira de Administração Pública (SBAP), o relato técnico refere-se a um “formato de comunicação escrita que tem por objetivo facilitar o diálogo técnico-cientifico entre práticos e acadêmicos que atuam na área de Administração Pública. O Relato Técnico é formato adequado para aqueles que querem comunicar uma experiência de mudança organizacional, processo decisório, avaliação ou análise prescritiva de política pública, proposta de intervenção governamental ou um caso de governança de atores na esfera pública. O Relato Técnico deve gerar aprendizado para a melhoria prática da Administração Pública, suas políticas, instituições e a governança pública” (https://www.idp.edu.br/arquivos/viii-encontro-brasileiro-de-administracao-publica-viii-ebap-com-retificacoes2506.pdf).



Associada e indexada à